Segundo o Reclame Aqui, a empresa não respondeu 93,8% de suas ocorrências entre o período de 13/09/2011 até 13/09/2014. Entre as reclamações está o atraso das composições, falhas no sistema de recarga do bilhete único, ar condicionado, lotação e até a greve que afetou o sistema.
11111dskxm
De acordo com a página de avaliações, nenhuma das 509 reclamações foi atendida. As queixas seguem na mesma linha do Metrô. Os dados da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos é entre 01/09/2013 – 31/08/2014.
3nz4eh9rvsmwkw0gx8qu5rwz6
SPTrans
O site Reclame Aqui aponta que 91,5% das reclamações endereçadas a empresa que fiscaliza o transporte por ônibus na capital paulista não foi atendida. Existe um grande número de queixas no que se refere a recarga do Bilhete único. Existem também ocorrência envolvendo operação das linhas, como não atendimento à chamada do passageiro no ponto de ônibus. Os dados são de 01/09/2013 a 31/08/2014.
5jan2014---passageiros-enfrentam-onibus-lotado-no-tatuape-na-zona-leste-de-sao-paulo-na-noite-desta-quinta-feira-5-durante-greve-dos-metroviarios-1402016744332_1920x1080
Das 4 empresas, a EMTU é a que mais responde aos seus usuários: 70,6% das ocorrências respondidas. Porém, assim como nas 3 acimas mencionadas, a empresa que gerencia as linhas intermunicipais é considerada como “não recomendada”. As reclamações giram em torno principalmente da operação nos serviços.
O que dizem as empresas?
Procuramos as 4 empresas envolvidas no transporte paulistano. A SPTrans nos respondeu que “os usuários do Reclame Aqui são orientamos a utilizar os canais existentes”.
Já a respeito do Metrô, CPTM e EMTU, a resposta veio da Secretária de Transportes Metropolitanos, órgão do governo estadual que gerencia as 3 empresas de transportes. Segundo a STM, os passageiros também podem endereçar as reclamações por meio dos canais oficiais, mas admite que estuda atender a demanda da página de avaliação: “A STM está avaliando, juntamente com suas empresas vinculadas, a melhor forma de atender e dar encaminhamento às reclamações realizadas pelo site citado” – diz a nota.
No mercado comum o cliente ao comprar um produto ou serviço, e não for bem seu publico, pode e deve ir para a concorrência. Já o passageiro do transporte não tem essa mesma sorte.